"Match Report" - Campeonato Nacional de Sevens em Seniores

Entre o dia 20 e 21 de Junho, realizou-se em Coimbra, mais precisamente no Estádio Sérgio Conceição, em Taveiro, o Campeonato Nacional de Sevens 2008/2009.
Nesta prova, organizada em conjunto pela Câmara Municipal de Coimbra e pela secção de rugby da Associação Académica de Coimbra, participaram 11 equipas divididas por 4 grupos, como é possível constatar abaixo.

Grupo 1 - Belenenses, Cascais e Cascais Rugby Linha
Grupo 2 - Académica e Famalicão (Técnico desistiu)
Grupo 3 - CDUL, Benfica e CRAV
Grupo 4 - Direito, CDUP e Agrária



FASE INICIAL
A fase inicial desta prova foi algo desequilibrada, isto porque se notou demasiado a diferença física e técnica entre as equipas, com a vantagem a ir obviamente para os clubes que trouxeram os seus internacionais a Taveiro.
Estes elementos conferiram uma maior rotina ao jogo das suas equipas, algo também evidente nos confrontos envolvendo Famalicão, Agrária, CRAV e CDUP, equipas que praticaram um rugby em que ainda era visível a influência do XV em detrimento da variante de VII, o Sevens.
No fim da fase de grupos todos os conjuntos foram alinhados (conforme a sua classificação) no quadro da fase final que permitia o acesso à final de uma das três taças em disputa. Ao fim destes jogos, era clara a superioridade de CDUL, Direito e Belém, com a Académica e o Benfica a revelarem-se bastante fortes, mais os estudantes que os encarnados.
Cascais, Cascais Rugby Linha, CDUP, Agrária e Famalicão apresentaram-se inicialmente num patamar abaixo que as supra citadas equipas mas não deixaram de proporcionar aos espectadores e demais assistência bons momentos de rugby, com os jogos entre CDUP e Agrária e entre Cascais e Cascais Rugby Linha a revelarem-se muito interessantes, com ensaios muito bonitos e jogadas bem estruturadas por parte destas equipas.
O primeiro dia terminou com a clara sensação de que embora a diferença entre as equipas mais fortes e fracas fosse muito grande, tinham-se assistido a boas partidas, sendo que os melhores jogos ainda estava por realizar, algo que se veio a confirmar.

Dia 1 - ver Resultados e Classificação
(carreguem na imagem acima ou no link)


FASE FINAL
No segundo dia de prova realizaram-se os jogos referentes aos quartos de final, às meias finais e às finais das três taças em disputa neste Campeonato Nacional.
Assim sendo, depois de uns quartos de final algo desequilibrados, em que os quatro favoritos (Académica, Belenenses, Direito e CDUL) asseguraram uma passagem tranquila à ronda seguinte, o Cascais Rugby Linha, com um sete com muita experiência e alguma juventude carimbou a passagem à final da 3a taça, graças a uma boa vitória contra o CRAV, em mais uma partida onde Nuno Durão, um histórico do rugby português, mostrou que a idade ainda não o obrigou a abandonar os relvados (pelo menos nos sevens) nem lhe retirou as excelentes qualidades técnicas que lhe granjearam reconhecimento ao serviço do Cascais e da Selecção Nacional.
Com a final da terceira taça definida (o Cascais Rugby Linha defrontaria a Agrária que por causa da ausência do Técnico só realizou uma partida neste segundo dia), o Belenenses, no jogo seguinte, derrotou uma destemida Académica. Os jogadores do Restelo, muito fortes tanto técnica como fisicamente, aparentam estar talhados para este tipo de competições, a eliminar.
A partida entre CDUL e Direito, que se seguiu à vitória belenense, foi bem mais renhida e disputada, com dois ensaios a fazerem a diferença entre as duas equipas, que mostraram enorme fair play e desportivismo durante e depois desta terminar com um resultado favorável ao conjunto de Monsanto, que com uma exibição forte a defender e decisiva a atacar (Pedro Leal e Adérito Esteves foram armas bem empregues pelo treinador dos advogados) remeteu o conjunto universitário para o encontro do 3º e 4º lugar, a disputar com a Académica.
Encontrados os finalistas da Taça Principal (Belenenses e Direito) e da Terceira Taça (CR Linha e Agrária), restava apenas determinar quem disputaria a final da Segunda Taça. O Benfica e o CDUP 'abriram as hostilidades' num duelo fantástico onde, apesar da clara melhoria no seu jogo e do enorme esforço nestes 14 minutos por parte dos portuenses, a vitória acabou por sorrir aos encarnados, que não tendo argumentos para lutar com CDUL e Belém, adversários anteriores que os derrotaram, apresentaram-se muito fortes, demasiado fortes para CRAV e CDUP, clubes vencidos no caminho para a final da Segunda Taça.
Ao Benfica juntou-se o Cascais, que obteve uma boa vitória contra o Famalicão, liderado pelo ex-internacional Marcelo D'Orey. Devemos, antes de abordar as finais, saudar a coragem deste conjunto da 2a Divisão, o único que disputou o Campeonato Nacional em Taveiro e que teve uma tarefa difícil em todos os jogos que se realizaram no Estádio Sérgio Conceição.

Dia 2 - ver Resultados e Classificação
(carreguem na imagem acima ou no link)


FINAIS
As finais, alvo de um acompanhamento maior por parte da comunicação social local e nacional, começaram com o encontro entre o Cascais Rugby Linha e a Agrária de Coimbra. A equipa da Linha, que no próximo ano enfrentará um enorme desafio na 1a Divisão, mostrou-se demasiado forte para um conjunto conimbricense, comandado por João Alberty, que na primeira parte ainda conseguiu manter-se dentro do resultado mas que foi incapaz de evitar a derrota por 24-00.
A final da 2a Taça foi um encontro muito bem disputado, com Vasco Jonet a ser apenas um dos elementos do Cascais em bom plano. Todavia, a equipa do Benfica, com João Mestre e Urryel Torres em grande destaque, conseguiu alcançar a vitória (31-17) na contenda com um rugby atacante e apoiado, deixando boas indicações para a temporada 2009/2010, uma época para a qual os 'encarnados' se estão a reforçar atempadamente.
Com apenas dois jogos por realizar, a Académica e o CDUL jogaram os 14 minutos mais emocionantes de todo o torneio. O conjunto de Sérgio Franco, apoiado pelos espectadores presentes no Estádio Sérgio Conceição, levou o combate aos lisboetas, que com Gonçalo Foro em grande nível, foram trocando ensaios com a equipa da casa. Os 'pretos', que equiparam de branco durante toda a prova, não temeram os universitários da capital e através de um fantástico esforço colectivo, conseguiram dar a volta ao marcador, colocando-se, graças à excelente exibição dos jogadores conimbricenses, em particular de Rui Rodrigues, Ricardo Dias e Sérgio Franco, em posição de vencer a partida e conquistar o terceiro lugar, uma distinção que ambos os conjuntos fizeram por merecer.
No fim do tempo regulamentar, já com o sete da casa a preparar-se para celebrar a vitória, um ensaio dos lisboetas levou a partida para prolongamento. Apesar dos protestos da Académica, motivados por um erro do árbitro que permitiu a jogada em que o CDUL empatou a partida, o prolongamento, de morte súbita, iniciou-se com as duas equipas a lutarem pelo ensaio final. Após várias trocas de bola os atletas da Briosa conseguiram criar superioridade numérica à ponta, obtendo o ensaio vitorioso e fixando o resultado final em 22-17, favorável a este conjunto.
A final do Campeonato Nacional, jogo que se seguiu, foi tão emocionante e bem disputado como o anterior. O Belenenses e o Direito foram duas equipas que tiveram uma postura e prestações irrepreensíveis durante toda a prova, com os 'azuis' a realizarem uma excelente primeira parte, obtendo uma confortável vantagem no marcador graças a três ensaios convertidos (Adérito Esteves viu um ensaio seu ser anulado pelo árbitro da partida).
O Direito, que tinha chegado à final sem sofrer pontos, apresentando sempre um rugby muito consistente, pautado pela enorme capacidade técnica de Pedro Leal e pelo poder finalizador de Adérito Esteves, pagou por uma entrada algo apática no jogo, que o Belenenses soube agravar realizando dez minutos muito bons, com Pedro Silva e Sebastião Cunha a evidenciarem-se, tal como o experiente internacional Diogo Mateus e o jovem Manuel Costa (este último marcou um dos três ensaios do Belém).
Com o resultado ao intervalo a marcar 21-00 para os homens do Restelo, a segunda parte começou de forma diferente, com os advogados a entrarem com outra atitude, encurtando distâncias no marcador graças a três ensaios (um convertido) sem resposta e ao esforço dos seus jogadores, do quais devemos destacar Miguel Portela, um enorme atleta, que com o passar das épocas continua a realizar grandes exibições, tanto no XV como nos Sevens, tendo sido parte importante na recuperação da equipa treinada por Frederico Sousa, que com o jogo a aproximar-se do fim, estava apenas a três pontos do empate e a um ensaio da vitória.
Dois factores contribuíram para que até final o resultado não se alterasse mais: a excelente postura defensiva do Belenenses, que conteve o ataque do Direito, e os cartões amarelos, que limitaram a capacidade dos dois conjuntos, deixando entre eles pouco mais que as conversões falhadas, com a vitória final a pertencer justamente à equipa do Belém, agora bi-campeã nacional na variante de sete.

Dia 2 - ver Prémios e Selecção do Torneio
(carreguem na imagem acima ou no link)


PRÉMIOS E OUTRAS DISTINÇÕES
Com o Campeonato terminado é necessário, em primeiro lugar, saudar a organização liderada por Honorato Grilo, que fez, na nossa opinião, um trabalho sem paralelo em Portugal nesta temporada, não deixando absolutamente nada ao acaso e estando em todos os aspectos muito acima de tudo quanto foi feito internamente, na nossa modalidade, durante esta época de 2008/2009.
Não importa apenas saudar e reconhecer esta postura e resultados, mas também distinguir os responsáveis da Bookpaper, empresa que realizou um excelente trabalho gráfico neste evento, algo que foi possível constatar na preparação, apresentação e organização do mesmo, estando bem patente em Taveiro a qualidade da empresa de Coimbra, que esperemos voltar a ver envolvida noutras actividades do rugby português.
Por fim, no que concerne aos prémios, parece-nos justa, apesar do enorme fair play demonstrado por todas as equipas, algo que importa mencionar, a atribuição deste galardão ao conjunto de Famalicão. Consideramos também que faltou a entrega de um prémio revelação, que teria ficado bem, no caso deste Campeonato, nas mãos de Hugo Valente, mas que assim fica aqui como uma sugestão para futuros eventos.
Importa, para concluir, agradecer aos responsáveis do rugby da Académica todo o trabalho e atenção que tiveram nos dois dias de prova, proporcionando um excelente ambiente a todos os envolvidos e uma grande 3a parte no fim dos jogos, ao Sr. Pedro Amado Dias, por ter filmado todo o evento (jogos disponíveis no Rugby Portugal TV, cortesia deste senhor) e ao Sr. Mário Costa, Director de Competições da Federação Portuguesa de Rugby, pela ajuda que deu a este vosso autor na sua deslocação até Coimbra e na cobertura da última competição oficial de rugby sénior nacional deste ano.


FOTOGRAFIAS e RESULTADOS


ver Resultados (Dia 1) e Calendário (Dia 2)
ver Fotografias (Dia 1)


ver Resultados (Dia 2) e Prémios (Dia 2)
ver Fotografias (Dia 2)


Agradecimento: Aos responsáveis da BOOKPAPER (http://bookpaper.pt/), que fizeram um soberbo trabalho gráfico envolvendo a preparação, apresentação e organização deste evento, pelo envio das imagens contendo as folhas com os resultados e com os prémios.